Notícias »

Feira do Livro também diz Não ao bloqueio

Bloqueo NOmasCrianças cubanas farão voar papagaios de papel na fortaleza de La Cabaña, no próximo sábado 18 de fevereiro, para reclamar o fim do bloqueio dos Estados Unidos contra Cuba, como encerramento das atividades da 26ª Feira Internacional do Livro de Havana, que buscam conscientizar o mundo sobre a necessidade de eliminar a política de agressão que se manteve por mais de meio século.

Segundo o Comitê Organizador da Feira, o festival de papagaios na esplanada em frente do complexo Morro-Cabaña será acompanhado por ações similares em outros pontos da cidade, onde também serão vistos papagaios azuis, brancos e vermelhos, com as etiquetas #NoMásBloqueo e #UnBlockCuba.

“Ao longo de décadas, Cuba e a comunidade internacional têm reclamado o completo levantamento de uma política que também é de lesa cultura. O mundo literário adere, mais uma vez, a esta exigência”, acrescentaram os organizadores em uma entrevista coletiva no Pavilhão Cuba desta capital.

Nesta edição da Feira do Livro, o maior evento de seu tipo em Cuba, foram lançadas várias novidades editoriais sobre as relações entre Havana e Washington.

A Editora Política tras uma compilação de Luis Suárez Salazar intitulada «Fidel Castro Ruz. La crisis de América Latina, diagnósticos y soluciones», que recolhe o pensamento do líder histórico da Revolução sobre diferentes problemáticas da región, especialmente seus vínculos com os Estados Unidos.

Ciencias Sociales, entretanto, lança títulos como «El sistema financiero de los Estados Unidos», de Francisco Soberón Valdéz; «El espectáculo electoral más costoso del mundo», de Ramón Sánchez Parodi, e «Cuba y los cubanoamericanos. El fenómeno migratorio cubano», de Jesús Arboleya Cervera.

Ainda, das Ciencias Sociales, aparece nas bancas «Lo que yace a través del mar. La verdadera historia de los Cinco cubanos», do pesquisador canadense Stephen Kimber.

As ações contra o bloqueio somam os esforços de várias organizações e instituições, entre elas a União dos Jovens Comunistas, a Organização dos Pioneiros José Martí, o Instituto Cubano do Livro, o Ministério das Relações Exteriores e outros.

(Granma)

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*