Reflexões de Fidel »

O Desfile do 50º Aniversário

Hoje tive o privilégio de apreciar o impressionante desfile com que nosso povo comemorou o 50º Aniversário da proclamação do caráter Socialista da Revolução e da vitória de Praia Girón.

Também se iniciou nesse dia o Sexto Congresso do Partido Comunista de Cuba.

Desfrutei muito da narração pormenorizada e da música, gestos, rostos, inteligência, marcialidade e combatividade de nosso povo; a Mabelita na cadeira de rodas com o rosto feliz e às crianças e adolescentes de “La Colmenita” multiplicados várias vezes.

Vale a pena ter vivido para o espetáculo de hoje, e vale a pena lembrar sempre os que morreram para torná-lo possível.

Ao iniciar-se nesta tarde o Sexto Congresso pude constatar, nas palavras de Raúl e no rosto dos delegados ao máximo evento de nosso Partido, o mesmo sentimento de orgulho.

Podia estar na praça, talvez uma hora debaixo do sol e do calor reinante, mas não três horas. Atraído pelo calor humano ali presente, ter-me-ia criado um dilema.

Acreditem que senti dor quando vi que alguns de vocês me procuravam na tribuna. Pensava que todos compreenderiam que não posso já fazer o que tantas vezes fiz.

Prometi-lhes ser um soldado das idéias, e esse dever ainda o posso cumprir.

Fidel Castro Ruz
16 de abril de 2011
19h14

6 Comentarios

Hacer un comentario
  1. martinho júnior / PáginaUmBlogspot

    AS VITÓRIAS DA REVOLUÇÃO.

    Foram muitas as vitórias da Revolução, mas aquelas que foram ganhas de armas na mão foram talvez das mais decisivas, para Cuba, para a América Latina, para Angola e para África.

    Em Angola houve muitas batalhas ganhas, que em grande parte foram um vitorioso rescaldo da vitória de Girón:

    Em 1975, as batalhas de Cabinda, de Kifangondo e do Ebo, decisivas para a independência e para a constituição da República Popular de Angola bem como, anos mais tarde, a vitória do Cuito Cuanavale, decisiva para o fim do “apartheid” na África do Sul e para garantia das independências da Namíbia e do Zimbabwe, banindo-se de toda a África Austral o espectro dos “bantustões”… e das bombas atómicas dos racistas sul africanos…

    Há 50 anos era provavelmente impossível avaliar o alcance daquela vitória em Girón, mas hoje acho que todas as nações, países e povos das duas martgens do Atlântico, particularmente as nações formadas sobre as antigas rotas dos escravos, recordam-na também como uma vitória estratégica sua!

    50 anos depois, faz-se com a memória de Girón a maior prova de vida: aquela que pouco a pouco garante o resgate do subdesenvolvimento de milhões e milhões de deserdados da Terra!

    Martinho Júnior.

    Luanda.

    Responder     
  2. António Cervalho

    Querido amigo, irmão, companheiro. Peço humildemente desculpa pelo tratamento de proximidade mas é isto que efectivamente sinto… Um enorme amor. Eu também tive o feliz privilégio de, desde Portugal e através do canal Cuba Vision Internacional, acompanhar com uma imensa alegria, “posso dizer que se me molharam os olhos”, a celebração desta querida data que, só um Povo digno como vós, poderia celebrar.
    È lindo o que senti… Vivendo eu num país onde os “dirigentes responsáveis pelas nossas instituições” revelam um sentido de humanismo tão deplorável, senti-me durante as quase três horas, que preencheu a comemoração, como que se estivesse a viver no país das maravilhas.
    Uma pessoa humilde, não quer riqueza nem luxo, pois a riqueza é o que dá origem à miséria, à fome, à guerra. O que uma pessoa humilde quer, sim, é humanidade e humanidade é o que sentimos em cada atitude que venha de Cuba.
    Mais me apetecia dizer, mas não o faço, pois não tenho esse direito, fica-me e necessidade de estar eternamente grato ao Povo Cubano, pela alegria e o aconchego que proporciona aos humildes do mundo.
    E, querido Fidel, é impossível pensar em Cuba, sem pensar em Fidel, pois Fidel para mim, é pai da humanidade.

    Responder     
  3. Antenor Pinheiro

    Estimado Comandante Fidel, amigo povo cubano! Aqui da madrugada de meu recanto no interior do Brasil, sob a vibrante luz da lua, saúdo a Revolução Cubana pelos 50 anos da vitoriosa construção socialista. Digo-lhes, com orgulho,que suas vitórias são também minhas, pois que minha formação humanística muito tem a ver com o caráter de seus líderes, e mais que isso, de seus feitos. Não haverá força reacionária alguma que lhes possam corromper o legado de seus esforços na consolidação de uma sociedade livre, justa e soberana. As gerações de seu povo que estão por vir haverão de honrar e confirmar que a estrada seguida, desde Moncada, e o sangue derramado dos saudosos combatentes ao longo do seu processo revolucionário histórico, não somente dignifica suas vitórias nos campos da saúde, cultura e educação, mas, sobretudo, da dignidade de todas as populações latinoamericanas.
    Viva Fidel, viva a revolução, viva o povo cubano! Socialismo ou morte! Grito daqui em saudação a este momento histórico de toda a América Latina.
    Antenor Pinheiro.

    Responder     
  4. Anselmo Pecci

    Desde São Paulo, Brasil, assisti a alegria do povo cubano por Cubavision e me emocionei muito. Comandante: é claro que estavas lá, porque estás e sempre estarás no coração do povo cubano e de todos nós.

    Responder     
  5. Vera Salim

    Vera Salim/Rio de Janeiro/Brasil

    Comandante Fidel

    Quando nosso governo coloca no presidio sumariamente estudantes sindicalistas e professores que protestavam contra a vinda de Obama ao Brasil, o exemplo de Cuba nos conforta e fortalece.
    Ao povo cubano, ao Comandante Fidel Castro e a todos os heróis da Revolução Cubana, obrigada pelo exemplo revolucionario que nos acompanha desde a juventude. Obrigado pelo exemplo, obrigada pela emoção de sua carta e pela doçura de minhas láagrimas .

    Viva Revolução Cubana!

    Hasta La Victoria , Siempre!

    Responder     
  6. CESAR / FidelCastro

    Fidel is the best…

    Responder     

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*