Reflexões de Fidel »

Os Horrores Que O Império Nos Oferece

Um despacho da principal agência de notícias norte-americana AP, datado de hoje em Monterrey, México, o explica com irrefutável clareza. Não é o primeiro, nem será sem dúvida o último, sobre uma realidade que jogou por terra a montanha de mentiras com a qual os Estados Unidos pretendem justificar o destino inumano que reserva aos povos da Nossa América.

O que é que narra o despacho?

“MONTERREY, México (AP).— Quarenta e nove cadáveres decapitados e mutilados foram encontrados em um charco de sangue abandonados em uma estrada que liga o norte da metrópole mexicana de Monterrey com a fronteira dos Estados Unidos, no que parece ser o golpe mais recente de uma escalada da guerra de intimidação entre bandos de narcotraficantes.

“Os cadáveres de 43 homens e 6 mulheres foram encontrados às 04h00 do domingo, nas proximidades do povoado de San Juan, em uma estrada que não cobra pedágio e que conduz à cidade fronteiriça de Reynosa. No arco de pedra que recebe aqueles que visitam o povoado alguém escreveu com spray ‘100% Zeta’.

“O porta-voz da segurança do governo do estado norte de Nuevo León, Jorge Domene, disse em entrevista coletiva que junto dos corpos em decomposição foi encontrado um cartaz do grupo Los Zetas no qual se atribui a matança.

 

“Segundo parece fazia ao menos 48 horas que os corpos estavam sem vida, por isso as autoridades acham que as pessoas não foram assassinadas nesse lugar. ‘Nenhum corpo tem cabeça e foram mutilados de seus membros inferiores e superiores, o que complica a identificação’, disse o funcionário.”

“O procurador do estado, Adrián de la Garza, disse que nos últimos dias não foi feita denúncia alguma sobre desaparecidos, pelo que poderia tratar-se de pessoas de outros estados mexicanos ou inclusive imigrantes centro-americanos que tentavam chegar aos Estados Unidos.”

“Os Cartéis mexicanos da droga têm travado uma guerra cada vez mais sangrenta para controlar as rotas de contrabando, bem como o mercado local de drogas e a extorsão, cujas vítimas incluem os imigrantes que tentam chegar aos Estados Unidos.

“No período já transcorrido deste mês de maio, em uma zona turística cerca de Guadalajara foram encontrados 18 corpos; apareceram 23 cadáveres decapitados ou pendurados de uma ponte na cidade fronteiriça de Nuevo Laredo, onde a violência entre os Cartéis tem aumentado. Neste ano apareceram corpos nos estados de Veracruz, Guerrero, Morelos, Jalisco, Tamaulipas e Nuevo León.

“Asseverou que não existem indícios de que a nova onda de violência tenha relação com as eleições presidenciais que serão realizadas em julho. ‘É a dinâmica da guerra entre os Cartéis’, disse.”

Por seu lado o portal da Internet BBC Mundo, informa que:

“As cenas de corpos decapitados e mutilados em Nuevo León, onde 49 corpos foram jogados na estrada neste domingo, comoveram a muitos pela barbárie extrema exibida pelos assassinos. Inclusive no México, que depois de cinco anos de intensa guerra entre cartéis parecia ter visto tudo.”

Não poucos dos países da Nossa América são afetados por estes problemas.

Em nossa Pátria, os problemas que aqui são relatados, não existem; será por isso que o império tenta rendê-la por fome e fazendo uso da hostilidade? Meio século não tem sido suficiente, e duvido muito que o império disponha de outro meio século antes de que, mais cedo ou mais tarde, se afunda em sua própria lama.

 

 

Fidel Castro Ruz

14 de Maio de 2012

16h36

1 Comentario

Hacer un comentario
  1. martinho júnior / PáginaGlobalBlogspot

    O DIA DE ÁFRICA

    6 – A cultura da paz deve marcar os relacionamentos entre os povos e deve ser vocação intrínseca para todos os estados.

    A paz não se poderá fazer com capitalismo neo liberal e especulação financeira, por que os alicerces humanos de existência são profundamente tocados pelos factores nocivos afectos à essência desses artificiosos fenómenos inerentes à arquitectura do poder global das aristocracias financeiras, das oligarquias e das elites.

    É em paz que melhor nos podemos conhecer e será em paz que os povos oprimidos de todo o mundo poderão vencer as sequelas que se arrastam do passado, por que é com a paz que melhor poderão lutar contra o subdesenvolvimento crónico em que têm sido obrigados a (sub)viver e evitar as artificiosas manipulações étnicas, religiosas e sócio-políticas que quantas vezes têm sido estimuladas pelos poderosos.

    Responder     

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*