Reflexões de Fidel »

MUDANÇAS SAUDÁVEIS NO CONSELHO DE MINISTROS

Por ocasião das mudanças no seio do Executivo, algumas agências de notícias se rasgam as vestes.

Várias delas falam ou se tornam eco de boatos “populares” sobre a substituição dos “homens de Fidel” pelos “homens de Raúl”.

Nunca foi proposta por mim a maioria dos que foram substituídos. Quase sem excepção chegaram as suas responsabilidades propostos por outros companheiros da direcção do Partido ou do Estado. Nunca me dediquei a esse ofício.

Jamais subestimei a inteligência humana, nem a vaidade dos homens.

Os novos ministros que acabam de ser nomeados foram consultados comigo, apesar de que nenhuma norma obrigava os que os propuseram a terem essa conduta visto que há tempo renunciei às prerrogativas do poder. Agiram simplesmente como revolucionários autênticos que levam em si mesmos a lealdade aos princípios.

Não se cometeu injustiça com determinados quadros.

Nenhum dos dois mencionados pelos telexes como sendo os mais afectados, pronunciou uma palavra para expressar inconformidade alguma. Não era em absoluto ausência de valor pessoal. A razão era outra. O mel do poder pelo qual não conheceram sacrifício algum despertou neles ambições que os conduziram a um papel indigno. O inimigo externo se encheu de ilusões com eles.

Não aceito que agora seja misturada a bisbilhotice com o Clássico de Beisebol que está próximo a começar. Eu disse bem claro que os nossos atletas de beisebol eram jovens de primeira fileira e homens de pátria ou morte.

Como já expressei em outras ocasiões, regressaremos com o escudo ou sobre o escudo.

Venceremos porque sabemos e podemos combinar uma coisa que apenas podem fazer os homens livres e sem donos, não os jogadores profissionais.

Leonel Fernández me relatava ontem à tarde que os excelentes jogadores de beisebol profissionais dominicanos não desejavam participar nessas competições, estariam ausentes com dor para o povo que os viu nascer.

Chávez, ainda ignora por quê os seus magníficos lançadores e rebatedores serão derrotados pelos nossos atletas.

A equipa cubana que neste ano medirá as suas forças com os melhores profissionais dos Estados Unidos e do Japão nas Grandes Ligas é muito mais forte e está melhor treinada do que a equipa há três anos atrás.

Muitos deles já são veteranos apesar da sua juventude. Nenhum dos homens que conseguiram integrar a equipa ficou em casa, salvo por razões de saúde.

Assumo a total responsabilidade pelo sucesso ou pela derrota. As vitórias serão de todos; a derrota jamais será órfã.

Pátria ou Morte! Venceremos!


Fidel Castro Ruz
3 de Março de 2009
11h:32

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*