Reflexões de Fidel »

O império e a ilha independente. Quarta parte

A Base Naval de Guantánamo desde a desaparição formal da Emenda Platt até o Triunfo da Revolução.

Após a assinatura do Tratado de Relações de 1934, o território da “estação naval” foi fortificando-se e acondicionando-se aos poucos, até que na primavera de 1941, a Base ficou estabelecida como estação naval de operações sob a seguinte estrutura: estação naval, estação naval aérea e base do corpo de fuzileiros navais e de armazéns.

Em 6 de junho de 1934 o Senado dos Estados Unidos tinha aprovado uma lei através da qual a Secretaria da Marinha era autorizada a subscrever um contrato a longo prazo com uma empresa que se comprometia a fornecer adequadamente de água a Base Naval em Guantánamo, mas anteriormente existiam planos norte-americanos para a construção de um aqueduto que lhe fornecesse água vinda do rio Yateras.

A expansão continuou, e em 1943 foram construídas outras facilidades através de contratação com a empresa “Frederick Snare Co.” a qual contratou aproximadamente 9 mil operários civis, muitos deles cubanos.

Outro ano de desmedido trabalho de ampliação das instalações militares e civis da Base foi 1951. Em 1952, o Secretário de Marinha dos Estados Unidos decidiu mudar-lhe o nome de “U.S. Naval Operating  Base” pelo de “U.S. Naval Base”, e nessa altura já possuia uma estrutura que incluía o Centro de Treino.

A Constituição de 1940, a luta revolucionária e a Base Naval em Guantánamo, até dezembro de 1958.

O período decorrido do fim de 1937 até 1940 caracterizou-se, desde o ponto de vista político, pela adoção de medidas que permitiram a convocatória às eleições para a Assembléia Constituinte e sua realização. A razão pela qual Batista acedeu a estas medidas democratizadoras foi seu interesse em poder estabelecer fórmulas que lhe permitissem continuar sendo o centro das decisões políticas, garantindo desta maneira a continuidade de seu poder no novo ordenamento surgido sob as fórmulas instrumentadas por ele. Nos inícios de 1930 foi feito público o acordo de Batista e Grau de realizar uma Assembléia Constituinte. A Convenção Constituinte foi inaugurada em 9 de fevereiro de 1940 e terminou seus trabalhos em 8 de junho desse próprio ano.

A Constituição foi firmada em 1 de julho de 1940 e promulgada no dia 5 desse mês. A nova Lei de Leis estabeleceu que “o território da República é integrado pela Ilha de Cuba, a Ilha de Pinos e outras ilhas e ilhotas adjacentes que juntamente com elas estiveram sob a soberania da Espanha até a ratificação do Tratado de Paris em 10 de dezembro de 1898. A República de Cuba não concertará nem ratificará pactos ou tratados que em forma alguma limitem o menoscabem a soberania nacional ou a integridade do território”.

A oligarquia esforçou-se por impedir a materialização dos postulados mais avançados dessa Constituição ou pelo menos conseguir restringir ao máximo sua aplicação.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*