Notícias »

Díaz-Canel: Perante a Covid-19, todos dependemos de cada um

Cuba parada de omnibusO presidente da República, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, considero una quinta-feira, 26 de março, no Palácio da Revolução, que «na medida em que todos entendamos a responsabilidade que cada um de nós tem com os demais, vamos enfrentar com mais eficiência a pandemia do novo coronavirus».

Ao liderar, junto ao primeiro-ministro Manuel Marrero Cruz, a reunião que cada tarde avalia a partir do Governo a situação na Ilha com a Covid-19 e o Plano para a sua prevenção e controle, o Chefe de Estado valorizou que nesta batalha «cada um depende de todos e todos dependemos de cada um».

Insistiu em que as crianças e jovens não podem permanecer nas ruas. «Os jovens podem estar sãos, mas se levam a doença estão arriscando a vida de seus pais e de seus avôs, portanto é uma responsabilidade social. Esta não é a época de curtir na forma em que o fazíamos, não estamos em uma condição normal de vida», asseverou.

O presidente referiu-se a todas aquelas pessoas que têm sido mais conscientes diante desta perigosa doença, aquelas que continuam insistindo nas redes sociais sobre a necessidade de que sejam cumpridas as medidas com disciplina e responsabilidade.

Díaz-Canel destacou o apoio majoritário do povo cubano às medidas adotadas e ao reconhecimento do pessoal de saúde que trabalha em Cuba e das brigadas médicas que estão saindo para ajudar vários países do mundo.

O presidente referiu-se à preocupação que alguns alunos da pré-universidade têm acerca dos exames vestibulares de admissão e garantiu que serão realizados, porque a qualidade da admissão no ensino superior não pode ser afetada, mas a data dependerá de como a situação evolui com a Covid-19.

«A programação das aulas pela televisão é uma das maneiras de estudar. O principal é esforço e o auto-estudo. Não estamos falando de novos conteúdos, mas o que foi ensinado durante o trânsito na fase pré-universitária e o que os alunos precisam fazer é se preparar. Para isso, existem guias, orientações para os pais, testes de admissão padrão e exercícios resolvidos (…) Agora há mais tempo e é preciso tirar proveito disso para estudar», afirmou.

Finalmente, o chefe de Estado indicou que cada governo territorial disponibiliza números de telefone para denunciar as irregularidades observadas nas ruas.

Como sempre, nessas reuniões de check-up diárias, o ministro da Saúde Pública José Portal Angel Miranda apresentou uma atualização sobre o Covid-19 em Cuba, onde foram confirmados 67 casos até quinta-feira, 26.

Além disso, 1.539 pacientes são admitidos para vigilância epidemiológica, sendo 1.423 cubanos e 116 estrangeiros; ao mesmo tempo e em acompanhamento permanente do atendimento primário à saúde, existem outras 36.056 pessoas.

O chefe do Minsap também informou que 4,7 milhões (4.782.231) de pessoas foram investigadas na Ilha em 26 de março, e deles 521.364 são idosos, o que, como foi mostrado, é a faixa etária mais vulnerável contra o novo coronavírus.

Portal Miranda acrescentou que até o momento foram criados nas províncias 63 centros de isolamento para viajantes cubanos residentes no país, com capacidade para 9.824 leitos. Desde o início da mudança para quarentena, o número aumentou para 1.206, dos quais 24 foram identificados com sintomas respiratórios e encaminhados para hospitais designados.

O ministro também apontou que existe uma presença de colaboração médica em 51 países, que têm transmissão hoje, mas até agora nenhum incidente foi relatado com os médicos cubanos.

Por outro lado, nesta quinta-feira, 26, duas brigadas do Contingente Internacional de Médicos Especializados em Situações de Desastres e Epidemias Graves Henry Reeve partiu: uma para São Vicente e Granadinas e a outra para Antígua e Barbuda.

No contexto internacional, o ministro especificou que a doença já está em 171 países, com 416.916 casos confirmados e 18.565 mortes, com uma letalidade de 4,45%. Na região das Américas, 34 países e 11 territórios ultramarinos são afetados; o maior número de pacientes está nos Estados Unidos (55.231), Brasil (2.120), Canadá (1.959) e Equador (1.082).

A reunião também teve informações sobre o trabalho realizado pela Federação das Mulheres Cubanas (FMC) e pelos Comitês de Defesa da Revolução (CDRs) nas comunidades, como um fator essencial na batalha empreendida pela Ilha para deter a pandemia do Covid-19. Sobre o assunto, Teresa Amarelle Boué, membro do Bureau Político do Partido e secretária geral da FMC, explicou que líderes comunitários e membros da brigada da saúde visitaram mais de 642 560 famílias.

Da mesma forma, o movimento criativo das mulheres se juntou à confecção de máscaras; além disso, são coletadas garrafas e recipientes para o hipoclorito de sódio; foram selecionadas algumas mulheres para comprar os medicamentos para os idosos; e houve trocas com as famílias para que as crianças e jovens permaneçam em casa, como parte do isolamento social.

«Todas essas experiências», acrescentou o presidente da República, «podem ser implantadas mais amplamente em todo o país, para intensificar o trabalho em nível comunitário, em casas onde existem pessoas em quarentena ou em vigilância epidemiológica, em apoio a idosos e pessoas mais vulneráveis e ​ transmitir ​queixas acerca de irregularidades nos bairros. Isso nos dará um trabalho mais sistemático e eficiente no enfrentamento do novo coronavírus».

(Source: Granma)

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados. *

*