Notícias »

Juventude cubana ratifica respaldo ao povo e governo venezuelanos

susely-morfaA primeira-secretária da União de Jovens Comunistas, Susely Morfa (UJC), ratificou hoje o apoio constante desta organização ao povo e governo da Venezuela ante a cruzada internacional para desestabilizar esse país.

Nesse sentido, Morfa recordou o discurso do presidente de Cuba, Raúl Castro, na XV Cimeira da Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América-Tratado de Comércio dos Povos (ALBA-TCP), celebrada em Caracas no início do mês.

Ali, o chefe de Estado confirmou o respaldo da ilha caribenha à Revolução bolivariana e ao presidente venezuelano Nicolás Maduro.

Em declarações à Prensa Latina, Morfa rechaçou toda ingerência e postura de exclusão com a Venezuela em relação a sua participação na VIII Cúpula das Américas, a ser realizada no Peru, em abril próximo.

Por que Venezuela não pode estar na cimeira do Peru? O que temem? – perguntou a jovem ao referir-se à atitude do denominado Grupo de Lima de excluir o governo bolivariano da reunião regional.

A posição de Cuba com a Venezuela é invariável, pois é a de um irmão. Condenamos as agressões, e a guerra econômica e midiática dos Estados Unidos contra esse país sul-americano, afirmou a primeira-secretária da UJC. Além disso, Morfa destacou a resistência do povo venezuelano, seu respaldo à Revolução bolivariana e o direito a escolher seu destino sem a intromissão de outras nações ou setores da direita internacional.

A juventude – como continuidade do legado do líder histórico da Revolução cubana Fidel Castro, e do presidente Raúl Castro – segue em pé e ratifica seu respaldo ao povo venezuelano e seu governo.

Na última quarta-feira, foi realizado em Havana o II Foro da Sociedade Civil Pensando Américas, no qual jovens, profissionais, camponeses, mulheres, trabalhadores, religiosos e outros setores da ilha manifestaram seu apoio a Venezuela.

Na declaração final do encontro, os participantes acordaram apoiar o povo e governo da Venezuela e respaldar seus direitos à livre autodeterminação e à independência de escolher o sistema social para o bem-estar de sua nação.

A sociedade civil cubana congrega mais de duas mil organizações e associações envolvidas em praticamente todos os ramos da vida política, social, econômica, cultural e religiosa da nação caribenha.

(Prensa Latina)

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*