Notícias »

Prontos para defender a Pátria

defensa bastionA coesão entre soldados e oficiais tornou-se patente na segunda jornada de Bastión 2016. Nas diversas províncias do país, durante a segunda jornada do Exercicio Estratégico Bastión 2016 pôde se verificar a elevada disposição combativa de nossas unidades regulares, a qual aumenta na área de concentração graças à árdua preparação que propicia — em poucos dias — poder alcançar a necessária coesão exigida para o combate.

Apesar de saberem que se trata de um simulacro, os oficiais, sargentos e soldados agem com a seriedade e o rigor que impõe o momento, como se enfrentassem uma situação real de agressão armada contra o país.

As unidades possuem moderno armamento e dispõem de elevado poder de fogo, extraordinária mobilidade e grande capacidade de manobra. É formada por jovens de forte complexão física e de marcante compromisso com o cumprimento da missão. Destaca sua alta moral combativa.

Estes são complementos de nossa filosofia de luta, da concepção da Guerra de Todo o Povo e da invulnerabilidade militar alcançada, a qual somente é possível manter mediante o esforço do povo e em primeiro lugar dos jovens.

Em uma visita às regiões militares de Ciego de Ávila e Villa Clara, o general-de-corpo-de-exército Joaquín Quintas Solá, vice-ministro das Forças Armadas Revolucionárias (FARs) e chefe da Região Estratégica Central, considerou que «o Conselho de Defesa Provincial tem se preparado rigorosamente para cumprir os objetivos do Exercício Estratégico Bastión 2016».

Ainda, elogiou a capacidade real da província para enfrentar possíveis ações do inimigo, com o emprego das forças e meios das unidades regulares das FARs, em estreito vínculo com o Ministério do Interior e a decisiva participação do povo, organizado nas diferentes estruturas de defesa popular.

Também qualificou de muito positivo o desenvolvimento de Bastión 2016 e expressou que tem observado muita organização e coesão em todas partes, fruto da experiência e tradições combativas que caracterizam uma província que teve que enfrentar o fenômeno do banditismo e a agressão por Playa Girón, entre outras contendas, onde pôs à prova sua decisão de defender a independência da Pátria a qualquer preço.

Disse, ainda, que resulta evidente a coesão conseguida em todos os componentes do sistema defensivo do país, o qual nos coloca em melhores condições que nunca para enfrentar e derrotar qualquer episódio bélico contra Cuba, ressaltando a decisiva participação dos jovens nas tarefas da defesa.

(Granma)

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*