Notícias »

Encontro fraternal de Fidel com o presidente do Vietnã

Fidel y VietnamO comandante-em-chefe Fidel Castro Ruz recebeu na tarde da terça-feira, 15 de novembro, o companheiro Tran Dai Quang, presidente da República Socialista do Vietnã, quem tinha chegado horas antes a Cuba em uma visita oficial, liderando uma delegação de alto nível de seu país.

Fidel e Tran coincidiram em que esta visita afiançará, ainda mais, a histórica amizade entre nossos povos e conversaram acerca das experiências no desenvolvimento econômico e social, em meio dos perigos que ameaçam a humanidade, particularmente a mudança climática, os conflitos bélicos que têm lugar em diferentes regiões, o incessante aumento da população mundial, os baixos preços do petróleo, junto ao desafio de elevar a produção de alimentos em escala universal.

O presidente do Vietnã testemunhou a afetuosa saudação da direção do Partido, o governo e o povo dessa nação asiática e expressou seu grande apreço pela solidariedade de Cuba desde os tempos da guerra contra a invasão ianque, enviando uma felicitação pelos resultados do Sétimo Congresso do Partido Comunista de Cuba.

O líder da Revolução cubana lembrou suas visitas a essa nação irmã, os anteriores encontros com outros dirigentes vietnamitas e tornou patente sua admiração por Ho Chi Min. Referiu-se à experiência e o trabalho que se realiza na produção de alimentos ricos em proteínas.

Fidel e Tran expressaram a certeza de que Cuba e o Vietnã vencerão na atual luta comum.

PRESIDENTE DO VIETNÃ EM CUBA PARA ESTREITAR LAOS BILATERALIS

«Durante esta visita vamos trocar opiniões para aprofundar os laços de amizade, solidariedade e cooperação integral que unem nossos países», expressou o presidente da República Socialista do Vietnã, Tran Dai Quang, na sua chegada a Havana.

Após ter sido recebido no Terminal 1 do Aeroporto Internacional José Martí pelo vice-presidente do Conselho de Estado de Cuba, Salvador Valdés Mesa, o presidente vietnamita disse sentir-se muito feliz por estar nesta «ilha bela, heróica, valente e uma amiga muito especial do Vietnã».

Afirmou que sua estada na Ilha maior das Antilhas, que se estenderá até a próxima quinta-feira, 17, permitirá aprofundar ainda mais a confiança mútua entre as duas nações. Cuba e Vietnã estão às portas de uma «nova etapa de suas relações bilaterais; mais substantivas e eficientes», asseverou.

Dai Quang expressou sua satisfação por se encontrar na terra de Fidel Castro e José Martí e agradeceu ao presidente Raúl Castro a oportunidade de conhecer este país e ver suas conquistas econômicas e sociais.

O dirigente também reconheceu que esta será uma ocasião propícia para reafirmar os sentimentos de amizade e solidariedade que unem ambos os partidos, governos e povos.

«Temos a firme confiança de que Cuba obterá maiores sucessos nesta nova etapa do seu desenvolvimento e esperamos ser testemunhas disso», acrescentou.

Finalmente assegurou que Vietnã e Cuba continuarão afiançando seus nexos de coordenação e apoio mútuo nos organismos e fóruns internacionais para continuar defendendo os direitos legítimos de cada país e contribuir para a paz, estabilidade, desenvolvimento e prosperidade de todas as nações do mundo.

Durante a visita, o presidente vietnamita terá conversações oficiais com o presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros, general-de-exército Raúl Castro Ruz e fará outras atividades, partindo depois para o Peru, onde participará da Cúpula do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec).

Esta é a primeira visita de Tran Dai Quang à Ilha como presidente do Vietnã e seu primeiro percurso pela região depois de sua tomada de posse, em abril passado.

Ao longo de quase 56 anos, Cuba e o Vietnã têm cultivado «uma amizade incondicional» que hoje se distingue como exemplo para o resto dos países.

Em seus frequentes encontros de alto nível, os líderes de ambas as nações têm reafirmado a determinação de intensificar as relações de solidariedade, irmandade e cooperação integral entre os dois Partidos Comunistas, Estados e povos. Estes contatos favorecem o conhecimento mútuo na construção socialista, sempre adequadas às respectivas realidades.

Embora o intercâmbio econômico e comercial entre os dois territórios se tenha elevado até US$ 200 milhões, em média, nos anos recentes, atualmente se trabalha para incrementar esses nexos que abrangem principalmente setores como agricultura, turismo, construção, biotecnologia e educação.

(Granma)

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*