Notícias »

Daniel Ortega: por mais uma vitória

Daniel Ortega elecciones«A cada lar e a cada família nicaraguense, nosso invariável compromisso de continuar mudando a Nicarágua… cultivando e conseguindo vitórias que nos permitam fortalecer a convivência, e avançar, passo a passo, tirando a pobreza, e promovendo o bem-estar e direitos», assinou a mensagem do fechamento da campanha eleitoral da FSLN.

Em 6 de novembro a Nicarágua viverá uma jornada de sufrágios, na qual o comandante Daniel Ortega e a coordenadora do Conselho de Comunicação e Cidadania do Governo,. Rosário Murillo, postulam-se como candidatos à presidência e vice-presidência do país, respectivamente, pelo atual partido governante: a Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN).

Nesta ocasião, Ortega procura a reeleição para seu terceiro período consecutivo e quarto mandato na história da nação centro-americana, o que resulta muito provável, pois segundo a mais recente sondagem de M&R Consultores, ambos os candidatos desse partido têm 68% de intenção de votos.

Essa mesma pesquisa mostrou que 65% dos nicaraguenses apoia à FLSN em relação aos restantes partidos que se apresentam nos sufrágios.

De acordo com o Livro Branco Processo Eleitoral 2016 do país, nestas eleições «participam 16 partidos políticos, deles 11 de circunscrição nacional e 5 das regiões autônomas do Caribe nicaraguense».

A Aliança Unida Nicarágua Triunfa, regido pela FSLN, compromete-se em continuar com os sucessos do governo do presidente Daniel Ortega, que propiciou o bem-estar à grande maioria do povo nicaraguense, nos últimos dez anos.

Entre esses avanços se encontra uma redução da pobreza, que desceu desde 45,5% até 29,6% segundo a sondagem realizada pelo Instituto Nacional de Informação de Desenvolvimento (INIDE), que também mostrou que o desenvolvimento econômico do país centro-americano tem sido sustentável (4,5%) tornando-se assim, um dos países da América Central de maior crescimento.

Também, o comandante Daniel Ortega aplica este ano seu Plano de Bom Governo 2016, que sob o lema, «Trabalhando juntos como grande família» promove e fortalece ações em todos os setores da sociedade: saúde, educação, turismo e economia.

Por sua parte, o Partido Liberal Independente (PLI) propõe combater a corrupção e o esbanjamento, erradicar em curto prazo a pobreza crítica, garantir a segurança alimentar e incrementar o emprego produtivo. Essa agrupação apresenta como candidato José del Carmen Alvarado, odontologista, dedicado à agricultura e a pecuária.

O Partido Liberal Constitucionalista (PLC) tem em seu bilhete para presidente Maximo Rodriguez, político nicaraguense que foi deputado entre 1996 e 2011.

Sob o lema «Unidos pela mudança», o PLC vislumbra em seu plano até 2021 uma Nicarágua socialmente justa e inclusiva, economicamente forte e politicamente estável.

Outras das agrupações, Aliança pela República (APRE) proclama que tem como único compromisso «unificar esforços, forças e capacidades para criar uma sociedade mais justa, inclusiva, despolitizada e participativa, que restabeleça o estado do direito e que se respeite a Constituição Política e as Leis»; contando com Carlos Canales como opção para a presidência.

Por outro lado, Unidade Democrática se ergue como aliança entre o Partido Conservador (agrupação nicaraguense mais antiga), o Partido Social Cristão e Os independentes, que procuram «Uma República para todos» com cestas básicas ao alcance do povo, educação de qualidade e governo transparente. Seu candidato é o jovem Erick Cabezas, advogado e notário público.

A Aliança Liberal Nicaraguense tem como eixos a educação integral e de qualidade, o investimento, a segurança social e a atenção à mulher e a juventude; para isso conta em seu bilhete com Saturnino Cerrato, ex-religioso nicaraguense.

Às eleições estão convocados mais de três milhões de nicaraguense, que além de eleger presidente e vice-presidente para os próximos cinco anos, escolherão 90 deputados nacionais e 20 para o Parlamento Centro-americano (Parlacen).

O presidente é eleito pela maioria absoluta ou relativa com ao menos 45% dos votos públicos, excetuando o caso se obtiver um 35%, mais superando aos restantes candidatos por uma diferença mínima de 5%.

Embora tenha que esperar até o domingo para conhecer os resultados, mediante das sondagens mais recentes, pode-se saber desde estes dias quem será o vencedor: Daniel Ortega.

(Granma)

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*