Notícias »

Díaz-Canel confirma estado excelente das relações Havana-Tóquio

CUBA-PARLIAMENT-MIGUEL DIAZ CANELO primeiro vice-presidente dos Conselhos de Estado e de Ministros de Cuba, Miguel Díaz-Canel Bermúdez, expressou em 31 de maio, nesta cidade, que as relações entre o Japão e a ilha caribenha se encontram em um estado excelente.

Díaz-Canel, que iniciou na véspera a primeira jornada da visita oficial que faz a esta nação, declarou à Prensa Latina o desejo do governo cubano de aprofundar e alargar os vínculos comerciais e de manter o diálogo político com o Japão.

Acompanhado do vice-ministro das Relações Exteriores Rogelio Sierra e o embaixador de Cuba neste país, Marcos Rodríguez-Costa, Díaz-Canel teve um encontro com o presidente da Liga Parlamentar de Amizade Japão–Cuba, Keiji Furuya, com quem examinou os laços entre os dois países.

“A partir do ano 2014 as relações comerciais e políticas entre Havana e Tóquio avançaram muito e queremos nesta visita contrastar esse progresso através dos diferentes encontros que teremos com líderes e agrupamentos que estão trabalhando de maneira muito intensa nos laços com Cuba”, disse à Prensa Latina.

Após lembrar que o Japão foi o segundo parceiro comercial de Cuba entre meados da década de 1970 e a de 1980, Díaz-Canel considerou que este é um país que pode desempenhar um importante papel na dinâmica comercial atual da ilha caribenha.

Nesse sentido, lembrou o excelente apoio oferecido pela parte nipônica nesses anos, especialmente com maquinarias para o setor da construção.

Durante o primeiro dia de sua visita a esse país asiático, o primeiro vice-presidente da Ilha também se reuniu com 25 representantes das principais empresas que fazem parte da Conferência Econômica Japão-Cuba, onde ofereceu amplos detalhes da atualização do modelo econômico cubano e dos resultados do recém concluído 7º Congresso do Partido Comunista de Cuba (PCC).

Em sua intervenção afirmou que Cuba e o Japão devem aproveitar a nova vitalidade de suas relações e aumentar a cooperação comercial.

Ainda, aproveitou a participação de empresas nipônicas como Komatsu, Yuasa, Sumitomo, Mitsubishi, Hitachi, Suzuki, Sony, Toyota e outras no desenvolvimento de Cuba e reconheceu a seriedade, eficácia e alto nível tecnológico das mesmas.

Díaz-Canel pôs ênfase na ratificação por parte do Partido Comunista de Cuba na construção socialista e a vocação do governo de manter as conquistas da Revolução na educação, cultura, esporte, saúde, qualidade de vida e previdência social, entre outras esferas.

Também explicou que atualmente Cuba reconhece a propriedade privada, a pública e a mista, as cooperativas e a gestão não estatal, estratégia que pediu ser aproveitada pela parte japonesa para impulsionar o desenvolvimento econômico da nação caribenha.

Ao expressar seu agradecimento ao presidente da Conferência, Tomoyoshi Kondo, Díaz-Canel expôs que os dois territórios partilham semelhanças, como o envelhecimento da população e o elevado índice de esperança de vida, indicadores de países desenvolvidos.

Finalmente, fez um apelo a ambas as partes a aproveitar o excelente estado das relações que partilham Tóquio e Havana — principalmente desde os últimos dois anos — e nesse sentido disse que é urgente trabalhar pelo sucesso futuro das relações e a cooperação comercial e o alto nível de diálogo político.

Em 31 de maio, o líder cubano visitou o templo budista Zojoji, onde mostrou interesse em conhecer dados históricos do lugar, durante uma explicação dada pelos monges desse famoso lugar.

(PL)

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*