Notícias »

Havana e a cultura cubana como majestosas ofertas turísticas

turismo H NacionalHABITUALMENTE esperada nos primeiros dias do quinto mês do ano, a Feira Internacional do Turismo na Ilha maior das Antilhas abre suas portas, a partir de 3 de maio, com atividades especiais dedicadas ao mercado emissor canadense, ao destino havanense e à cultura como produto turístico.

Ao conversar em exclusiva com o Granma Internacional, a diretora de Comunicação do Ministério do Turismo (Mintur), Janet Ayala, ressalta que o evento reiterará a importância do Canadá como principal emissor de turistas à Ilha, além de servir para melhorar as relações e estreitar os vínculos com operadores de turismo, agências de viagens e outros atores do setor.

Entretanto, a cultura e Havana serão reafirmados, segundo as palavras da especialista, como alguns dos mais majestosos produtos turísticos cubanos. “Busca-se divulgar as importantes alianças que se deram entre a cultura nacional e o turismo, e a dependência que têm um do outro. Com esse fim, serão inseridos acontecimentos que terão lugar colateralmente na cidade”.

Voltada a atenção para a capital de Cuba, destacarão as potencialidades de um local para o encontro com o patrimônio e a comemoração de conotados eventos. Explica Ayala que, como poucas cidades do mundo, Havana tem só a 20 minutos uma área de praia e conta com uma impressionante zona florestal. Essas fortalezas fazem com que seja “um produto múltiplo, que permite desenvolver várias modalidades de turismo”.

Vale lembrar que, como é costume, de 3 a 7 de maio próximo o encontro estará sendo refletido em tempo real, através do site www.fitcuba.com e que, em parceria com o Ministério da Cultura, irão realizar-se apresentações artísticas e culturais que terão o momento supremo na gala inaugural noturna, no Grande Teatro de Havana Alicia Alonso.

QUANDO SE ABRA A CORTINA

A Catedral de Havana é uma das atrações turísticas da cidade.
Ao tempo que se iniciem as negociações no recinto de feiras de La Cabaña, serão subidas as cortinas oficiais da 36ª Feira Internacional do Turismo, FitCuba 2016, com o discurso do ministro do Mintur, Manuel Marrero, no salão dos Embaixadores, do Hotel Habana Libre.

De acordo com os organizadores, será uma oportunidade para divulgar perspectivas e estratégias do ramo turístico, bem como novos produtos e resultados que apostam em um crescimento constante da chegada de visitantes a Cuba e o aumento das receitas para o país, que ultrapassam hoje os US$2 bilhões anuais.

À intervenção de Marrero se somará a de sua homóloga canadense, Bardish Shagger, e a de Taleb Rifai, secretário-geral da Organização Mundial do Turismo. De forma paralela, Cuba acolherá a 60º Comissão para as Américas desse organismo internacional e assegurará as visitas de delegações de alto nível à Feira.

QUEM ACUDIRÁ À LA CABAÑA?

Por outro lado, na tradicional sede com vista à avenida beira-mar havanesa estarão presentes, até agora, ao redor de 300 representantes domésticos e mais de 1,6 mil estrangeiros, embora se preveja que finalmente estes superem os três mil. Na opinião de Ayala, a ampla presença estrangeira é devido a que haverá muitas novidades e um contexto mais propício para a troca.

Além da assistência canadense, esperam-se linhas aéreas, operadores de turismo, viajantes, mídia, companhias hoteleiras e de transporte, empresas de serviços e outras associações profissionais procedentes das principais nações emissoras de turistas para a Ilha, entre as quais aparecem Reino Unido, França, Itália, México, Espanha e os Estados Unidos.

Particularmente, segundo refere a especialista, o salão San Ambrosio, de La Cabaña servirá de palco para as apresentações atualizadas do grupo Gaviota S.A., da Comercializadora de Serviços Médicos Cubanos S.A., das redes hoteleiras Cubanacán Hoteles e Gran Caribe, e a organização Viajes Cuba, que aglutina todas as agências nacionais.

Como parte da Feira de Fornecedores, que com mais de meia centena de expositores será realizada, pela segunda ocasião, em uma edição de FitCuba, assumirão papéis principais as tecnologias aplicadas ao turismo, enfatizando no desenvolvimento de novas redes de informação, aplicações e sites.

Acompanhada de um estande que promoverá a pasta de oportunidades de negócios do setor turístico, essa iniciativa ajuda a garantir a presença no mercado cubano de insumos, equipamentos, alimentos e mobília essenciais para o sustento da chamada indústria do lazer.

De outra óptica, acrescenta a responsável pela Comunicação, o trabalho autônomo ou independente fará parte da FitCuba 2016, por meio de duas modalidades: a exibição de produtos, que é o caso de algumas ‘paladares’ — lanchonetes particulares —, e “a mala na mão”, que usam aqueles que perseguem vender seus produtos. “Haverá trabalhadores privados tanto de Havana quanto de Matanzas ou Santiago de Cuba”, aponta.

Por último, destaque para a jornada em que serão abertas as portas ao grande público, na última data do programa e que dará acesso a tudo aquilo que seja possível comprar na rede de vendas de produtos turísticos. Igualmente se fortalecerão as atividades de lazer, que incluirão sorteios, passeios a cavalo, andar de pernas de pau e outras ligadas à natureza.

(Granma)

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*