Notícias »

Convocatória ao 1º de Maio

primero de mayoA Central dos Trabalhadores de Cuba e os sindicatos nacionais, como tem estado ocorrendo durante mais de meio século, convocam todo nosso povo à jornada de mobilização nacional para celebrar no próximo 1º de Maio o Dia Internacional dos Trabalhadores, presidido pelo lema central “POR CUBA: UNIDADE E COMPROMISSO”.

Nas atividades que têm sido organizadas levaremos bem alta a convicção que com nossos próprios esforços e provada capacidade de luta e vitórias continuaremos levando adiante o processo de atualização do modelo político, econômico e social que temos escolhido como nação soberana, independente e socialista, encaminhado a desenvolver o país e o bem-estar do povo no qual os trabalhadores desempenham um papel de protagonistas.

O desfile compacto e colorido de multidões em todas nossas praças, levando consignas, cantos e um mar de bandeiras e cartazes será um momento oportuno para continuar o reclame do cessar do bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelos EUA a Cuba e exigir a devolução do território da Base Naval de Guantánamo ilegalmente ocupado ao nosso país.

Neste 1º de Maio o converteremos no palco para a homenagem e reconhecimento ao líder histórico da Revolução, o comandante-em-chefe Fidel Castro Ruz, por ocasião de se celebrar seu 90º aniversário. Será uma oportunidade para destacar em cada coletivo de trabalhadores seu pensamento revolucionário e vínculo permanente com os trabalhadores.

A celebração do 1º de Maio é também uma jornada que promove a iniciativa para enfeitar os locais de trabalho e ao mesmo tempo consolidar as ações desenvolvidas na campanha de higienização contra o mosquito Aedes aegypti.

Desde todas nossas estruturas sindicais se convocará a converter abril no “MÊS DAS VITÓRIAS PRODUTIVAS” promovendo a mobilização dos trabalhadores para que potenciem ao máximo as reservas de eficiência em cada coletivo de trabalho, em função do cumprimento do plano de produção, os serviços e a poupança de recursos, cujo resultado favorecerá o melhoramento das receitas. Será um espaço, também, para o reconhecimento aos resultados individuais e coletivos daqueles que mais se destacam.

Temos importantes motivações para a celebração desta jornada ao se comemorarem efemérides que nos dignificam como cubanos e enaltecem nossa história e tradições de luta.

Neste mês nos alenta e compromete ao máximo a celebração do 7º Congresso de nosso Partido, o 55º aniversário da Campanha de Alfabetização e a declaração de Cuba território livre de analfabetismo, o 60º do desembarque dos expedicionários do iate Granma; o 55º aniversário da vitória de Praia Girón e a proclamação do caráter socialista da Revolução nos inspiram compromisso e realizações.

A festa do proletariado mundial será realizada em uma conjuntura na qual nossa América e o Caribe vivem um cenário político caracterizado por uma contra-ofensiva da direita e o capital transnacional; será um momento para denunciar as manobras dirigidas a desestabilizar os governos de esquerda e progressistas no poder, particularmente na Venezuela, Bolívia, Equador e o Brasil.

Ao mesmo tempo se converterá na demonstração de nossa solidariedade com os povos e trabalhadores da América e o mundo, empenhados em atingir uma justiça social includente, na luta pela unidade e a defesa dos espaços integracionistas como a Comunidade dos Estados Latino-americanos e Caribenhos (Celac).

O restabelecimento das relações diplomáticas com os Estados Unidos o valorizamos como uma vitória rotunda da vontade indobrável do povo cubano na qual apreciamos oportunidades em áreas de interesse bilateral e também desafios. Respaldaremos o apego irrestrito de Cuba aos seus ideais revolucionários e antiimperialistas, ao compromisso com as causas justas do mundo e o incondicional apoio aos nossos países irmãos.

Destacaremos o legado de grandes líderes operários no 105º aniversario do nascimento de Lázaro Peña González, Jesús Menéndez Larrondo e José María Pérez Capote, o 115º de Aracelio Iglesias Díaz, bem como o exemplo de outros que identificam os diferentes sindicatos e os trabalhadores em seus mais altos valores.

Compatriotas

Convocamo-los a este 1º de Maio com a convicção que tem que converter-se em uma contundente expressão da participação consciente, o compromisso e a unidade indestrutível de nosso povo e os trabalhadores com a construção e desenvolvimento da obra da Revolução, o reconhecimento à liderança de Fidel, Raúl e o apoio aos acordos que se derivem do 7º Congresso do Partido Comunista de Cuba.

30 de março de 2016

“Año 58º da Revolução”

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*