Notícias »

Patriarca ortodoxo russo chegará a Cuba para aprofundar relações

infografia papa kirillO líder da Igreja Ortodoxa Russa, Sua Santidade Kirill, chega hoje a Havana para realizar uma visita oficial durante a qual se reunirá com o presidente cubano Raúl Castro.

Esta é a primeira vez que um Patriarca de Moscou e de toda a Rússia realiza uma viagem à ilha caribenha, ainda que Kirill tenha estado em três ocasiões anteriores, quando desempenhava outras responsabilidades dentro da instituição religiosa.

Segundo adiantou o presidente do Departamento de Relações Eclesiásticas Exteriores do Patriarcado de Moscou, Metropolita Hilarión, a viagem do Primaz é um passo importante para fortalecer os vínculos entre a Igreja russa e as autoridades cubanas, assim como entre os respectivos povos.

A Chancelaria da nação antilhana informou ontem que durante sua estadia, que se prolongará até o próximo domingo, Kirill manterá conversas oficiais com o presidente cubano e realizará outras atividades.

O programa do líder religioso compreende também um momento qualificado de histórico a nível internacional: o encontro amanhã com o papa Francisco, que fará escala nesta capital durante sua viagem ao México.

Trata-se da primeira reunião na história entre os máximos representantes da Igreja Ortodoxa Russa e a Católica, que deverá concluir com uma declaração conjunta.

Em dezembro último, o Metropolita Hilarión assegurou que os nexos entre a Igreja russa e Cuba têm tido tradicionalmente um caráter amistoso e recordou que o presidente Raúl Castro foi o primeiro líder estrangeiro com o qual se reuniu o Patriarca após ser entronizado em 1 de fevereiro de 2009.

Previamente a essa data, em 1995, o atual Primaz visitou Cuba quando exercia a função de Gerente da Eparquia Ortodoxa da Hungria e membro do Conselho de Política Exterior do Ministério de Assuntos Exteriores da Federação Russa.

Em 14 de novembro de 2004, Kirill, então presidente do Departamento de Relações Eclesiásticas Exteriores do Patriarcado, liderou a cerimônia de colocação da primeira pedra do templo ortodoxo russo em Havana.

Quatro anos depois, em 19 de outubro de 2008, oficializou a Divina Liturgia de consagração da Catedral Nossa Senhora de Kazán, localizada na Avenida do Porto desta capital. Em maio de 2015, durante uma visita de Raúl Castro a Moscou, o líder religioso ressaltou a relação especial entre ambos países, impossíveis de romper, e se referiu aos fortes laços entre seus respectivos povos. “Os anos passam, mas os cubanos seguem sendo irmãos”, afirmou.

(Prensa Latina)

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*