Notícias »

Mesa de diálogo para paz na Colômbia será retomada em 28 de setembro

dialogos de p0azVoltarão a reunir-se no próximo dia 28 de setembro para continuar o trabalho sobre temas relacionados com Vítimas e Fim do Conflito.

Em um comunicado conjunto, as partes que participam do diálogo pela paz nessa nação sul-americana recordaram que durante as jornadas de trabalho, que concluíram ontem, receberam a primeira visita dos delegados do Secretário Geral das Nações Unidas, Jean Arnault e da Presidência pro tempore da Unasul, atualmente Uruguai, José Bayardi.

No marco da subcomissão do Fim do Conflito, ouviram suas visões sobre mecanismos de monitoramento e verificação do cessar-fogo e de hostilidades bilaterais e definitivos e a deposição de armas, expôs o texto.

Também reuniram-se os grupos assessores em matéria de justiça e avançaram na discussão de mecanismos dentro do Sistema Integral da Verdade, Justiça, Reparação e Garantias de não repetição, apontou.

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia-Exército do Povo (FARC-EP) asseguraram estar prontas para prosseguir na marcha marcada pela vontade nacional para o acordo definitivo, ponto de partida para as transformações democráticas e progressistas em seu país.

“A paz está tocando a porta da Colômbia e exige que o conflito armado fique para trás como memória coletiva de algo que não deve se repetir jamais, de tal maneira que asseguremos o futuro de paz e vida digna das novas gerações de colombianos”, afirmaram em um comunicado divulgado em seu site.

O texto afirma que está muito próximo de um entendimento o decisivo componente de justiça do sistema integral da verdade, justiça, reparação e não repetição.

A importância disso – afirma – reside em que desencadearia uma dinâmica positiva de redação de convênios sobre tópicos pendentes, como a expansão da democracia e o desenvolvimento do essencial subponto Fim do conflito.

Além disso, prossegue, permitiria considerar seriamente o mandato da Agenda de esclarecer o fenômeno do paramilitarismo, e o que é mais urgente para o futuro da paz, sua desarticulação, porque com guerra suja o pós acordo se constituiria em uma mentira.

O grupo insurgente ressalta que em Havana continuam construindo consensos sobre o cessar-fogo e de hostilidades bilateral e definitivo, e se avança na análise do aspecto Deposição das armas.

Sobre a reincorporação das FARC-EP à vida civil, assinala que estão prontas para abordar e discutir os procedimentos para a mudança de organização armada para movimento político aberto.

O comunicado exalta que “está próximo, sem dúvida, o fechamento do acordo sobre o ponto 5: Vítimas, posto que o inevitável assunto da Reparação disporia do Sistema Integral da Verdade, Justiça, Reparação e não Repetição, de mecanismos para contemplar as vítimas do conflito”.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*