Notícias »

Presidente cubano honra a soviéticos caídos em guerra contra fascismo

soldado-desc-moscuO presidente cubano, Raúl Castro, honra hoje a memória dos soviéticos caídos durante a Grande Guerra Pátria (1941-1945), em uma cerimônia oficial na capital russa, como parte de sua visita.

Raúl Castro chegou a Moscou no dia 5 para preencher um convite de seu par russo, Vladimir Putin, às celebrações do 70 aniversário da vitória sobre o fascismo. O mandatário cubano assistirá na manhã deste sábado à colocação de uma oferenda floral ante a Tumba do Soldado Desconhecido e o lume eterno em memória aos caídos, ao pé das Muralhas do Kremlin, junto a outros chefes de Estados estrangeiros.

Segundo informou-se, os líderes de quase 30 países e titulares de organizações internacionais posarão para uma fotografia coletiva. O presidente cubano ocupará um dos lugares destinados na tribuna para os convidados de alto nível, durante a parada militar na praça Vermelha, o mais importante acontecimento dos festejos da vitória, depois da derrota da Alemanha nazista e a capitulação do Japão militarista de então, o 9 de maio de 1945.

Nesta sua terceira visita a Rússia como presidente (antes em 2009 e 2012), Raúl Castro foi recebido pelo premiê Dmitri Medvédev e a véspera celebrou conversas com Putin no Kremlin, oportunidade que serviu também para uma reunião de trabalho entre as duas delegações governamentais.

Ao termo do desfile militar, os líderes estrangeiros e chefes das delegações oficiais, além do corpo diplomático acreditado, assistirão a uma recepção do presidente da Rússia no Grande Palácio do Kremlin.

Pela primeira vez desfilarão pela praça Vermelha após a parada militar integrantes do Regimento Imortal, uma iniciativa patriótica que procura perpetuar a memória de todos os que contribuíram de uma maneira ou outra a conseguir a vitória.

Centenas de ativistas, familiares e descendentes portarão as fotografias de heróis conhecidos e anônimos. A marcha do regimento Imortal foi aprovada por Putin recentemente em um decreto especial.

(Prensa Latina)

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*