Notícias »

Prosseguem violentos confrontos em províncias sírias

Damasco, 5 nov (Prensa Latina) Os violentos confrontos entre as forças governamentais e os grupos armados na Síria prosseguem hoje, enquanto personalidades políticas no exterior reiteram a avaliação de que soluções militares piorarão a crise.

Nesta segunda-feira na cidade de Maaret al-Nu’man, na província de Idleb, norte do país, soldados do Exército Árabe Sírio (EAS) causaram várias baixas aos insurgentes e apreenderam diversos equipamentos bélicos.

Um relatório da agência árabe síria de notícias SANA indicou que entre os opositores mortos e feridos encontra-se um terrorista.

Além disso, na província norte-oriental de Deir Ezzor avançou a limpeza de elementos armados nos bairros al-Jibaileh e al-Muwazafin, da capital provincial, e em zonas vizinhas.

Na região de al-Mayadeen, próxima ao rio al-Furat, durante operações contra os grupos irregulares, as unidades do EAS infligiram-lhes grandes perdas.

Em Alepo, capital dessa provincial homônima, a 350 quilômetros ao norte de Damasco, forças governamentais frustraram uma tentativa de infiltração de grupos armados, procedentes de áreas de Kafar Hamra e Al Lirmon, na cidade.

Enquanto isso, nos arredores de Damasco continua o confronto entre os grupos e os soldados do EAS, em especial na área de Harasta, onde segundo algumas fontes, os irregulares queimam os corpos de seus mortos para evitar seu reconhecimento pelas autoridades.

Nessa zona, ao nordeste da capital, no último fim de semana, morreram mais de uma centena de mercenários integrados às filas do chamado Exército Livre Sírio, indicou uma fonte militar.

Também nessa zona, em áreas de al-Sayeda Zainab, na região de al-Hajira, neste domingo foram eliminados vários integrantes dos grupos opositores quando tentavam abandonar a região, que nos últimos dias é alvo de duros ataques governamentais, que incluem o uso de aviação e artilharia.

Por outro lado, porta-vozes palestinos denunciaram as tentativas dos grupos de se infiltrarem no campo de refugiados de el-Yarmouk, em Damasco Campo, onde foram enfrentados e repelidos pelos moradores.

Neste contexto, o chanceler russo, Sergei Lavrov, disse no Cairo que os confrontos armados não são uma alternativa para solucionar a crise na Síria e que alguns dos membros da Conferência de Genebra renegam o que foi aprovado e apoiam os opositores a continuarem os combates.

Nesse sentido, o enviado da ONU e da Liga Árabe, Lakhdar Brahimi, declarou também que não existe uma solução militar à crise síria e que essa não vai permanecer dentro das fronteiras nacionais, senão que essa certamente respingará nos países vizinhos.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*