Notícias »

Homenagem a Tomás Borge com presidente da Nicarágua à frente

Manágua, 2 mai (Prensa Latina) O presidente Daniel Ortega encabeçará hoje um ato de homenagem ao recém falecido comandante da revolução sandinista Tomás Borge, em continuidade ao tributo póstumo liderado pelo povo da Nicarágua, com ampla repercussão mundial.

A Praça da Fé acolherá a cerimônia, prevista para a tarde, enquanto o país continua de luto nacional pela perda do último dos fundadores sobreviventes da Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN).

Também o Parlamento realizará nesta quarta-feira por convocação especial em homenagem a Borge, político de alta sensibilidade humana que defendeu a Nicarágua assim que foro internacional esteve presente, como mesmo fez com as causas justas de outros povos, confirmou à imprensa o titular da Assembleia Nacional, René Núñez.

Nascido em 13 de agosto de 1930, Borge faleceu no passado 30 de abril por infecção pulmonar de natureza cancerígena, que o manteve internado durante várias semanas no hospital militar de Manágua, onde foi operado em 6 de abril último.

Numerosos governos, partidos políticos, organizações religiosas e sociais e intelectuais de diferentes partes da órbita expressaram as condolências pelo desaparecimento físico do revolucionário, destacado escritor, poeta, deputado e diplomata.

Desde cedo, começaram ontem as honras fúnebres no Palácio Nacional; milhares de pessoas marcharam pelas ruas desta cidade para ir ao recinto onde permanece exposto o cadáver do lutador contra a ditadura somozista, que sofreu prisão e tortura.

O dia de manifestações populares ontem estendeu-se até altas horas da noite em concerto ao ar livre, na praça da Revolução, porque “agora celebramos a vida eterna de Tomás, a imortalidade de Tomás, a alegria de ter a Tomás no caminho para mais vitórias para o povo”, disse a dirigente governamental Rosario Murillo.

Segundo detalhou, os restos de Borge descansarão junto aos do Comandante Carlos Fonseca (fundador do FSLN), em um mausoléu erigido nesta capital.

“Assim como ele pediu, assim o quer sua família e Daniel tem escutado, estamos trabalhando já para que ocupe esse lugar que lhe pertence junto a Carlos, dois comandantes vencedores da morte, tayacanes vencedores da morte”, adiantou a servidora pública pouco depois do falecimento.

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*