Notícias »

Povos da América alçam sua voz em Cartagena das Índias

Cartagena das Índias, Colômbia, 12 abr (Prensa Latina) Os povos da América alçarão hoje sua voz nesta cidade das Caraíbas colombianas em um foro totalmente independente à VI Cúpula das Américas, a realizar-se neste fim de semana.

De acordo com Enrique Daza, diretor nacional do Centro de Estudos do Trabalho, membro da Aliança Continental e organizador do foro dos povos, este será um verdadeiro encontro dos povos da América.

Daza explicou que este encontro se constitui outro lado do encontro hemisférico oficial, no qual as propostas de integração e o reclame dos movimentos sociais sim são atendidos.

Nesse sentido, assegurou que na chamada Cúpula as Américas se abordarão uma série de temáticas previamente escolhidas por sua neutralidade e que não tratam os problemas reais que preocupam aos povos do continente.

São temas que foram escolhidos porque, segundo o próprio governo colombiano, não implicam nenhuma divisão, ao mesmo tempo em que na denominada Cúpula Social se analisarão também esses assuntos, expressou em declarações à Prensa Latina.

Em troca, declarou, o chamado da Cúpula dos Povos é a que estes também têm direito a opinar sobre os grandes problemas da região e não fazer um espetáculo de aparente participação, onde não existe.

O encontro contará com três dias; o primeiro será esta quinta-feira em que se abordarão diferentes temáticas.

Entre estas, destacam modelo de desenvolvimento, integração, militarização e direitos humanos, mudança climática e economia verde, terra, território e soberania alimentar, tratados de livre comércio e crise econômica.

No segundo dia (amanhã) mulheres, estudantes, igrejas, sindicalistas ou defensores de direitos humanos se reunirão em diferentes encontros para abordar temáticas setoriais.

Tudo isso culminará em uma assembleia em 14 de abril, na qual se definirá um pronunciamento da Cúpula dos Povos que será levado ao foro presidencial através de uma mobilização social pelas ruas de Cartagena das Índias.

 

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos necesarios están marcados *

*