Artículos de Fidel Castro Ruz

Reflexões de Fidel »

O mundo maravilhoso do capitalismo

O mundo maravilhoso do capitalismo

A procura da verdade política sempre será uma tarefa dura, mesmo em nossos tempos quando a ciência tem colocado em nossas mãos um grande número de conhecimentos. Um dos mais importantes foi conhecer e estudar o fabuloso poder da energia contida na matéria.

Reflexões de Fidel »

Os tempos difíceis da humanidade

Os tempos difíceis da humanidade

João Paulo II, um homem ao qual o contacto com as crianças e com os cidadãos humildes do povo suscitava-lhe, invariavelmente, sentimentos de afeto. Por isso, decidi solicitar-lhe alguns minutos do seu muito ocupado tempo quando conheci, segundo palavras de nosso chanceler Bruno Rodríguez, que ele gostaria deste modesto e simples contacto.

Reflexões de Fidel »

Os caminhos que conduzem ao desastre

Os caminhos que conduzem ao desastre

Esta Reflexão poderá ser escrita hoje, amanhã ou qualquer outro dia sem risco de enganar-se. Nossa espécie encara novos problemas. Quando expressei há 20 anos na Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, no Rio de Janeiro, que uma espécie estava em perigo de extinção, tinha menos razões do que hoje para advertir sobre um perigo que via talvez à distância de 100 anos.

Reflexões de Fidel »

A Genialidade de Chávez

A Genialidade de Chávez

O presidente Chávez apresentou perante o Parlamento da Venezuela seu relatório sobre a atividade realizada em 2011 e o programa a executar no presente ano. Depois de cumprir rigorosamente as formalidades que demanda essa importante atividade, falou na Assembléia às autoridades oficiais do Estado, aos parlamentares de todos os partidos, e aos simpatizantes e adversários que o país reúne em seu ato mais solene.

Reflexões de Fidel »

A FRUTA QUE NÃO CAIU

A FRUTA QUE NÃO CAIU

Cuba se viu forçada a lutar por sua existência face a uma potência expansionista, situada a poucas milhas de suas costas, que proclamava a anexação de nossa ilha, cujo único destino era cair em seu seio como fruta madura. Estávamos condenados a não existir como nação.

Reflexões de Fidel »

A Paz Mundial Pende De Um Fio

A Paz Mundial Pende De Um Fio

Ontem tive o prazer de conversar sossegadamente com Mahmoud Ahmadinejad. Não tinha visto ele desde setembro de 2006, havia mais de cinco anos, quando visitou nossa Pátria para participar da XIV Reunião de Cúpula do Movimento de Países Não Alinhados que foi realizada em Havana, onde Cuba foi eleita pela segunda vez como Presidente dessa organização pelo tempo estabelecido de três anos.

Reflexões de Fidel »

O MELHOR PRESIDENTE PARA OS ESTADOS UNIDOS

O MELHOR PRESIDENTE PARA OS ESTADOS UNIDOS

Não é por acaso óbvio que o pior de tudo é a ausência na Casa Branca de um robô capaz de governar os Estados Unidos e impedir uma guerra que ponha término à vida de nossa espécie? Tenho a certeza de que 90 por cento dos norte-americanos inscritos, especialmente os hispanos, os negros, e o crescente número da classe média, empobrecidos, votaria pelo robô.

Reflexões de Fidel »

A MARCHA RUMO AO ABISMO

A MARCHA RUMO AO ABISMO

Não é uma questão de otimismo ou de pessimismo, saber ou ignorar coisas elementares, ser responsáveis ou não dos acontecimentos. Os que pretendem considerar-se políticos deveriam ser lançados à lixeira da história quando, como é norma, nessa atividade ignoram tudo ou quase tudo o que se relaciona com ela.

Reflexões de Fidel »

Cinismo genocida (Segunda parte e final)

Cinismo genocida (Segunda parte e final)

Insistiu em que a administração norte-americana está chegando à conclusão de que será necessário acabar com o atual regime do Irão para evitar que este crie um arsenal nuclear. “Sou uma convencida de que a mudança de regime vai ser nossa única opção aqui”, reconheceu Rice. Não é preciso mais uma palavra.

Reflexões de Fidel »

CINISMO GENOCIDA (PRIMEIRA PARTE)

CINISMO GENOCIDA (PRIMEIRA PARTE)

Nenhuma pessoa em seu bom censo, especialmente aqueles que tiveram acesso aos conhecimentos elementares que são adquiridos em uma escola primária, concordaria com que nossa espécie, de modo particular os que são crianças, adolescentes ou jovens, sejam privados hoje, amanhã e para sempre do direito a viver. Jamais os seres humanos ao longo de sua história azarenta, como pessoas dotadas de inteligência, conheceram experiência semelhante. Sinto-me no dever de transmitir àqueles que se tomam a moléstia de ler estas reflexões, o critério de que todos, sem exceção, estamos na obrigação de criar consciência sobre os riscos que a humanidade está correndo de forma inexorável, rumo a uma catástrofe definitiva e total como conseqüência das decisões irresponsáveis de políticos aos quais o azar, mais do que o talento ou o mérito, colocou em suas mãos o destino da humanidade.